09 novembro, 2016

Constante Bebedeira

A verdade é que...

Eu sei que bati o pé muitas vezes e disse com plena certeza o que eu queria. Tá aí, de repente tudo faz um sentido totalmente diferente de antes e eu me pego pensando se escolhi certo, se parei no lugar adequado, se tudo e todos que deixei passar foi a forma certa de  lidar com qualquer tipo de sentimento.

Realmente nunca parei para me importar muito com a forma como ajo com as pessoas, como as trato e como pareço toda vez que me apresento. Isso nunca foi importante pra mim em toda a minha arrogância e orgulho. Eu deveria viver em constante estado de bebedeira para ligar menos para opinião alheia e fazer mais tudo que eu quero ao invés de sempre pensar em poupar e futuro. Eu parei de agir assim por um tempo e foi ótimo, valeu mais a pena que qualquer barganha.

Eu quero estar em constante bebedeira para ser eu como sou de verdade, a pessoa desinibida, que entra no meio da farra, fala com todo mundo, puxa papo, ri e gosta de todas essas emoções.

Eu quero estar em constante bebedeira para dizer que o amigo do irmão precisa de um dentista, que o puxa saco precisa se situar na vida, mandar um semancol para aquela garota que usou sombra azul, vestido prata e salto maior que o pé em tom rosa pink. Ao mesmo tempo eu a aplaudiria por sair convicta de que fez certo, porque deveríamos ser mais assim.

Eu quero estar em constante bebedeira para dizer absolutamente tudo sem pudores e sem medo de estar errada.

Eu quero estar em constante bebedeira para dizer pra esse povo que a falsa face/modéstia só faz o ser humano ser ainda mais patético.

Eu quero estar em constante bebedeira pra dizer a preguiçosa do outro lado da linha que não custa nada dividir 1700 por 3.

Eu  quero estar em constante bebedeira para admitir meus sentimentos verdadeiros.

Eu quero estar em constante bebedeira para mostrar que, mostrar-se verdadeiramente não dói, não é vergonha e muito menos te deixa menos popular se é que isso tem alguma importância.

Eu quero estar em contante bebedeira para agarrar você de todas as formas e nunca mais largar porque você faz a minha confusão ficar ainda mais confusa com tanta indecisão.

Eu quero estar em constante bebedeira para dizer ao mundo que padrão social é uma merda e que merda não não é palavrão, é merda mesmo.

Eu quero estar em constante bebedeira para não ligar para nenhuma dessas coisas ou qualquer outra que passe pela minha mente e tudo bastaria. Eu deixaria de ser tão normal para ser realmente quem sou.

Com toda essa bebedeira eu morreria em um curto período de vida (e cirrose poderia ser a causa, mas não a primeira da vasta quantidade de opções para uma possível morte), mas seria a vida mais longa e satisfatória, porque quando você esquece o clichê, o padrão, você é uma pessoa melhor.

Então, sobre as decisões que tomei até hoje em toda minha pequena vida, se valeram ou não, se foi certo ou errado... Quem é que sabe? Eu ainda vou me pegar muitas vezes pensando em tudo que faço ou fiz, a confusão vai apertar minha mente e eu terei mais alguns milhares de surtos por ir tão fundo em exatamente tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Patrícia Muniz - 2014/2016. Todos os direitos reservados. || Design by: Patrícia Muniz. Voltar ao topo ↟